sábado, 19 de maio de 2012

Lírica dos ventos





Minha amada querência gaúcha,
Tens tradição, tens memória.
Teus bons momentos são muitos.
Tua história, tua glória.

Teus ventos são poetas,
Que uivam, assoviam e cantam.
Não precisam de muito.
Singelos, que encantam.

Para quem quiser ouvir.
Compositores da própria orquestra.
Só lhes basta ter a disposição:
Uma soleira, um oitão ou uma fresta.

Cantam de peito aberto.
Não cansam, não desafinam.
Entoam versos e poesias.
Letras que nos animam.

Teus ventos, meu pago,
Vêm pesados de emoção.
Saudoso cheiro de terra molhada
Das quentes tardes de verão.

Ouço lírica de bom gosto.
Que eleva meus pensamentos.
Grande presente de minha terra.
Para mim, é a lírica dos ventos.

Alex Dahlke

Imagem: O pampa gaúcho - álbum da web de Susete Pedroso

2 comentários: